Recomendação para todos os destinos:

Os riscos em viagem deverão ser individualizados e alguns aspetos deverão ser considerados, nomeadamente o tipo de viagem, atividades desenvolvidas, duração da viagem, patologias do viajante e medicação habitual. Recomenda-se que a consulta do viajante se realize 6 a 8 semanas antes da viagem. Nessa consulta pretende-se a avaliação do risco em viagem, necessidade de vacinação e de profilaxia da malária, bem como aconselhamento de outras medidas preventivas de doenças não preveníeis pela vacinação (ex. picadas de inseto, cuidados com alimentos e bebidas, exposição solar).

 

A considerar na consulta do viajante:

VACINAS:

  1. Confirmar se o Programa nacional de vacinação (PNV) está atualizado.
  2. Vacina obrigatória: nenhuma. O Certificado internacional de vacinação para a Febre Amarela não é obrigatório.
  3. Vacinas a considerar: Febre Tifóide, Hepatite A e Hepatite B.

 

MALÁRIA

A malária, também chamada por Paludismo, é uma doença parasitária transmitida por mosquitos e é presente em vários países tropicais. É uma doença potencialmente mortal, se não tratada atempadamente.

  1. É imprescindível a prevenção de picada de mosquitos, através do uso de repelentes, vestuário adequado e redes mosquiteiras.
  2. Poderá ser necessária a prevenção das formas da doença através da toma de medicação.
  3. Após ou durante viagem para zona de risco de Malária, manifestando sintomas sugestivos da doença (febre é sempre, e até prova em contrário, malária) deverá procurar apoio médico e realizar o teste diagnóstico (teste rápido e gota espessa). Deverá sempre informar o seu Médico da sua viagem.

 

OUTROS RISCOS EM VIAGEM:

VÍRUS DENGUE

VÍRUS ZIKA

 

Consulte os alertas e situação epidemiológica das ILHAS SALOMÃO.

II Workshop - Vacinas em Viajantes
Para receber a Newsletter da SPMV por favor deixe-nos o seu email: