Ano 6 | Nr.68 | nov 2021

Old _1200x 600


Editorial

As infeções sexualmente transmissíveis e os viajantes

 

A viagem sempre foi considerada um factor de risco para aquisição de infeções sexualmente transmissíveis (ISTs). É um clássico dizer-se que a viagem se associa a aventura e exploração e que, longe do ambiente usual, isso é propício a que se estabeleça contacto sexual com novos parceiros e por isso aumente o risco de ISTs. Mas há viagens e viajantes que tem risco peculiarmente elevado, nomeadamente o turismo sexual para o sudeste asiático e para outros locais em desenvolvimento, os que viajam sós, os expatriados, os militares em destacamento. O uso concomitante de álcool e de outros fármacos de adição são facilitadores desse risco sexual e reduzem o uso de preservativo, tão importante na redução do risco. Excepto para os turistas sexuais a maior parte das exposições são com outros viajantes provenientes do mesmo país.

Os mais afetados são usualmente os jovens adultos e adolescentes. E nem sempre as ISTs necessitam do contacto sexual para se transmitirem, a sífilis e a infeção por vírus herpes Simplex, por exemplo, podem ocorrer por contacto íntimo pele com pele. Claramente que a internet introduziu e facilitou na última década a identificação de parceiros sexuais durante a viagem e provavelmente é hoje um dos fatores de relevo nesse risco sexual. As viagens organizadas com o intuito de fazer um circuito de festas na população de homens que fazem sexo com homens (HSH) tem muitas vezes um suporte on-line. Os surtos de hepatite A que grassaram na Europa em 2017 associados a transmissão sexual, tiveram epicentro nessas festas. Em zonas de baixa incidência de ISTs são frequentemente os viajantes os implicados na reintrodução de sífilis e linfogranuloma venéreo em áreas da Europa e América do Norte.

O aconselhamento na consulta pré-viagem quanto a ISTs é pouco frequente e pouco consistente e a evidência de que modifique o comportamento de risco é escassa. Contudo é importante que não se descure o aconselhamento e se reforce nas situações de claro maior risco. A construção de aplicações on-line que esclareçam dúvidas e objetivamente dêem informações sobre risco sexual e sua prevenção, estando disponível a toda a hora e de fácil acesso, são uma ferramenta importante a ter em consideração na mitigação deste risco.

Cândida Abreu
Presidente da SPMV

 

 

                                                                  

 

Atualidades na Medicina do Viajante

A Covid-19 continua tema dominante na literatura médica, em todas as áreas, incluindo a medicina de viagem. A administração concomitante de vacina Covid-19 com outras vacinas, nomeadamente da gripe, tem suscitado discussão. Um estudo neste mês publicado na Lancet que engloba 680 pessoas vacinadas com vacina Covid (vetorial e de RNA mensageiro) e três tipos de vacina da gripe reconhece como comuns reações ligeiras e moderadas às vacinas, semelhantes nos diferentes cohorts mas sem problemas de segurança. A resposta de anticorpos para o SARS-CoV2 e influenza foram similares nos que receberam concomitantemente as duas vacinas ou separadas mais de 14 dias.

Na ordem do dia temos a discussão da administração de vacina Covid -19 (com plataforma de mRNA) às crianças. Remeto os Colegas para a leitura do editorial publicado este mês na Science (ver publicações) .

Por último uma lembrança de que faz agora 40 anos que foi publicado o primeiro caso de SIDA, registando com muito agrado todo o avanço que se conseguiu nestes anos e que mudou em absoluto o paradigma da doença dessa primeira década.

 

 

 

PUBLICAÇÕES SELECCIONADAS

 

Ferretti A, Hedrich N, Lovey T, Vayena E, Schlagenhauf P. Mobile apps for travel medicine and ethical considerations: A systematic review. Travel Med Infect Dis. 2021 Sep-Oct;43:102143. doi: 10.1016/j.tmaid.2021.102143. Epub 2021 Jul 10. PMID: 34256131.

Dao TL, Gautret P. Patterns of diseases in health students abroad: A systematic review. Travel Med Infect Dis. 2021 Jan-Feb;39:101944. doi: 10.1016/j.tmaid.2020.101944.

Walker DM. Recognition and management of pediatric travel-associated infectious diseases in the emergency department. Pediatr Emerg Med Pract. 2021 Nov;18(11):1-32.

Bielecki M, Patel D, Hinkelbein J, Komorowski M, Kester J, Ebrahim S, Rodriguez-Morales AJ, Memish ZA, Schlagenhauf P. Air travel and COVID-19 prevention in the pandemic and peri-pandemic period: A narrative review. Travel Med Infect Dis. 2021 Jan-Feb;39:101915. doi: 10.1016/j.tmaid.2020.101915. Epub 2020 Nov 10.

Lazarus R et al. Safety and immunogenicity of concomitant administration of COVID-19 vaccines (ChAdOx1 or BNT162b2) with seasonal influenza vaccines in adults in the UK (ComFluCOV): A multicentre, randomised, controlled, phase 4 trial. Lancet 2021 Nov 11; [e-pub]. (https://doi.org/10.1016/S0140-6736(21)02329-1)

Gerber JS, Offit PA. COVID-19 vaccines for children. Science. 2021 Nov 19;374(6570):913. doi: 10.1126/science.abn2566. Epub 2021 Nov 18. PMID: 34793207.

 

 


 

FICHA TÉCNICA

Edição 
Direção da SPMV

Corpos Diretivos da SPMV
Direção 
Prof. Doutora Cândida Abreu
Faculdade de Medicina da Universidade do Porto
Centro Hospitalar Universitário de São João, Porto
Presidente

Dr. Dinarte Nuno Viveiros
Unidade de Saúde Pública, Agrupamento de Centros de Saúde Pinhal Interior Norte
Centro de Vacinação Internacional, Coimbra
Vice-Presidente

Dr.ª Sandra Xará
Centro de Vacinação Internacional,
Centro Hospitalar Universitário do Porto
Secretária-Geral

Dr.ª Gabriela de Lacerda Saldanha
Unidade de Saúde Pública, Agrupamento de Centros de Saúde Tâmega I – Baixo Tâmega
Vogal Efetiva

Enf. André Silva
Centro de Vacinação Internacional, 
Centro Hospitalar Universitário do Porto
Vogal Efetivo e Tesoureiro

Dr.ª Gabriela Saldanha
Responsável de Conteúdos Editoriais

Mesa da Assembleia Geral 
Prof. Doutor Jorge Atouguia
Clínica de Medicina Tropical e do Viajante
Presidente

Prof.ª Doutora Cláudia Conceição
Instituto de Higiene e Medicina Tropical
Vice-Presidente

Dr. Rui Pombal
UCS – Cuidados Integrados de Saúde (Grupo TAP)
Secretário

 

 

Conselho Fiscal 
Prof. Doutor Saraiva da Cunha
Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
Presidente

Prof.ª Doutora Filomena Martins Pereira
Instituto de Higiene e Medicina Tropical
Vice-Presidente

Dr. Luís Malheiro
Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho
Vogal

  

 

 












 

 

Supervisão e apoio Técnico Informático
Catarina Reis

Old _1200x 600

 

 

As infeções sexualmente transmsissíveis e os viajantes