Ano 6 | Nr.69 | dez 2021

Old _1200x 600


Editorial

REVIVE 2020 e o impacto da COVID-19 

 

Ao longo do passado ano 2020, a pandemia de COVID-19 afetou significativamente as atividades do programa REVIVE (Rede de Vigilância de Vetores), tanto ao nível do planeamento e realização de trabalho de campo nas diversas regiões de Portugal, como ao nível da atividade laboratorial – o que se sucedeu também neste ano 2021 que agora termina.

Em abril de 2021, foi publicado o último relatório do programa REVIVE, apresentando-se os resultados da vigilância de mosquitos e carraças realizada no passado ano 2020. O esforço de captura (número de colheitas) de mosquitos adultos e imaturos diminuiu, em relação a 2019, em 55% e 62%, devido à pandemia COVID-19. Também no que toca às carraças, o esforço de captura diminuiu em 44,5%, comparativamente com o ano anterior.

A espécie invasora Aedes aegypti foi novamente identificada na ilha da Madeira, onde a sua presença está registada desde 2005 - tudo indica que terá chegado à região numa importação de palmeiras para um jardim público. Apesar do seu estabelecimento local, esta espécie ainda não foi identificada noutras regiões do território português.

A dispersão do mosquito Aedes albopictus tem sido reportada, desde 2018, no Norte de Portugal (tendo-se iniciado num centro de recauchutagem, provavelmente com a importação de pneus) e no Algarve, mais concretamente em Faro.

Relativamente às carraças, destaca-se a deteção de uma espécie de Borrelia e duas espécies de Rickettsia já associadas a casos de doença em Portugal: B. lusitaniae, agente etiológico da borreliose de Lyme; R. conorii, agente etiológico da febre escaro-nodular; e R. slovaca, agente responsável de TIBOLA (tick-borne lymph adenopathy).

O ano de 2020 foi atípico devido à pandemia COVID-19, o que se refletiu num menor número de espécimes identificados. O estabelecimento e a dispersão geográfica de mosquitos e carraças representam situações de risco acrescido para a Saúde Pública, exigindo um esforço de monitorização constante, bem como medidas de controlo eficazes com vista à eliminação das populações detetadas e impedimento da sua dispersão para outras regiões. Não podemos negligenciar estas ameaças à Saúde Pública, pelo que, em 2022 é urgente retomar em pleno todas as atividades que ficaram prejudicadas com o desvio de recursos para a pandemia

 

Clarisse Martinho, Assistente de Saúde Pública, ACeS Baixo Tâmega 

Lara Guedes, Médica interna de Saúde Pública, ACeS Baixo Tâmega

 

 

Atualidades na Medicina do Viajante

Foi recentemente publicado na Ata Médica Portuguesa o primeiro protocolo nacional para abordagem clínica de picadas e mordeduras por animais venenosos presentes em território nacional.

Este Protocolo fornece informação sobre espécies animais venenosas autoctones no território nacional, que anualmente são responsáveis por eventos acidentais com humanos, originando recurso a serviços de urgência médica.

É um documento útil para uma correta abordagem clínica a incidentes com animais venenosos, aumentando a informação disponível sobre este tipo de envenementos.

 

https://www.actamedicaportuguesa.com/revista/index.php/amp/article/download/15589/6468

https://doi.org/10.20344/amp.15589

 

 

EVENTOS

8th  Northern European Conference on Travel Medicine (NECTM8) Roterdão 08-10 junho 2022 

19th International Congress on Infectious Diseases (ISID) Kuala Lumpur 17-20 novembro 2022

Conference of the International Society of Travel Medicine (CISTM18) Basileia 21-25 maio 2023 


 

FICHA TÉCNICA

Edição 
Direção da SPMV

Corpos Diretivos da SPMV
Direção 
Prof. Doutora Cândida Abreu
Faculdade de Medicina da Universidade do Porto
Centro Hospitalar Universitário de São João, Porto
Presidente

Dr. Dinarte Nuno Viveiros
Unidade de Saúde Pública, Agrupamento de Centros de Saúde Pinhal Interior Norte
Centro de Vacinação Internacional, Coimbra
Vice-Presidente

Dr.ª Sandra Xará
Centro de Vacinação Internacional,
Centro Hospitalar Universitário do Porto
Secretária-Geral

Dr.ª Gabriela de Lacerda Saldanha
Unidade de Saúde Pública, Agrupamento de Centros de Saúde Tâmega I – Baixo Tâmega
Vogal Efetiva

Enf. André Silva
Centro de Vacinação Internacional, 
Centro Hospitalar Universitário do Porto
Vogal Efetivo e Tesoureiro

Dr.ª Gabriela Saldanha
Responsável de Conteúdos Editoriais

Mesa da Assembleia Geral 
Prof. Doutor Jorge Atouguia
Clínica de Medicina Tropical e do Viajante
Presidente

Prof.ª Doutora Cláudia Conceição
Instituto de Higiene e Medicina Tropical
Vice-Presidente

Dr. Rui Pombal
UCS – Cuidados Integrados de Saúde (Grupo TAP)
Secretário

 

 

Conselho Fiscal 
Prof. Doutor Saraiva da Cunha
Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
Presidente

Prof.ª Doutora Filomena Martins Pereira
Instituto de Higiene e Medicina Tropical
Vice-Presidente

Dr. Luís Malheiro
Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho
Vogal

  

 

 












 

 

Supervisão e apoio Técnico Informático
Catarina Reis

Old _1200x 600